País

Ricardo Salgado terá corrompido embaixador da Venezuela em Portugal

Suspeitas estão a ser investigadas num inquérito autónomo, que partiu do chamado processo Universo Espírito Santo.

Ricardo Salgado terá pago sete milhões de euros ao embaixador da Venezuela em Portugal para a angariação de negócios favoráveis ao antigo Grupo Espírito Santo.

É preciso recuar 12 anos e percorrer quase 6.500 quilómetros para encontrar, em Caracas, a petrolífera estatal da Venezuela. É uma das empresas públicas do país onde Ricardo Salgado quis angariar negócios em benefício do Grupo Espírito Santo. Para isso terá corrompido altos cargos da Venezuela, entre eles, diz a revista Sábado, o atual embaixador em Portugal.

Diplomata em Lisboa desde 2006, Lucas Rincón terá recebido, entre 2009 e 2013, valores superiores a 7 milhões de euros para a prática de atos contrários ao dever do cargo em benefício de negócios do Grupo Espírito Santo.

Os pagamentos terão tido origem na Espírito Santo Enterprises, o chamado saco azul do grupo. O dinheiro terá chegado a uma offshore e daí seguido para uma segunda conta noutro paraíso fiscal, num esquema em que também estará envolvida a antiga procuradora-geral da Venezuela, que hoje é ministra conselheira na embaixada em Portugal.

As suspeitas ficaram de fora da acusação do processo Universo Espírito Santo e estão a ser investigadas num inquérito autónomo com origem no caso principal.