País

Eclipse solar parcial no Dia de Portugal

Eclipse anular do Sol. Animação do Observatório Astronómico de Lisboa que mostra a evolução do eclipse em Lisboa desde o seu início cerca das 9h48, passando pelo máximo próximo das 10h32 até ao término perto das 11h21 da manhã. A duração total do eclipse é da ordem dos 90 minutos.

Observatório Astronómico de Lisboa

Fenómeno será visível em todo o território português mas recomenda-se máximo cuidado na sua observação.

Um eclipse solar percorrerá o céu do hemisfério norte esta quinta-feira, dia 10 de junho, Dia de Portugal. Será visível numa faixa de cerca de 500 km que vai do Canadá à Sibéria, passando pela Europa, onde será apenas parcial. Nunca é demais recordar que nunca se deve olhar diretamente para o Sol nem durante o eclipse porque é perigoso para os olhos.

No pico do chamado eclipse anular, os terráqueos verão a Lua deslizar lentamente "para cima" do Sol e a transformá-lo durante alguns minutos num fino anel luminoso, como um "círculo de fogo" no céu de junho.

O espetáculo está reservado aos poucos habitantes das latitudes mais elevadas: Noroeste do Canadá, extremo Norte da Rússia, Noroeste da Gronelândia e Polo Norte, onde a ocultação do disco solar será de 87,8 %,

O eclipse também será visível, mas apenas parcialmente, no noroeste da América do Norte, grande parte da Europa, incluindo Portugal, bem como na parte do norte da Ásia.

"O eclipse será apenas visível como eclipse parcial em todo o território português, que ficará na penumbra da Lua. Na maioria do território nacional, o eclipse parcial será pouco perceptível pois as percentagens de área solar coberta são muito baixas, variando entre 4% e 10% no continente e sendo de 30% nos Açores e de 6% na Madeira", explica o Observatório Astronómico de Lisboa.

O início está marcado para as 9h48, o pico máximo será próximo das 10h32 e o final previsto para perto das 11h21, com uma duração total do eclipse de 90 minutos.

Extremamente importante não olhar diretamente para o Sol

É imperativo não olhar diretamente para o Sol, mesmo com óculos de sol ou através de uma nuvem. Os mais curiosos têm que se proteger com meios de observação de astrónomos amadores.

"A observação do sol, mesmo com o auxílio de aparelhos óticos, causa graves riscos para a visão humana se os procedimentos de segurança corretos não forem acautelados. Uma má utilização dos filtros solares ou de aparelhos de observação, assim como a observação directa, podem causar cegueira instantânea ou gradual sem regressão!", alerta o Observatório Astronómico.

Observatório Astronómico de Lisboa

Primeiro eclipse anular de 2021

Este é o primeiro eclipse anular do ano 2021 e o 16º do século XXI. Este fenómeno astronómico ocorre durante o período de Lua Nova, quando a Terra, a Lua e o Sol estão perfeitamente alinhados.

Se o diâmetro aparente da Lua for menor que o do Sol, parte da coroa de fogo permanece visível.

Um eclipse total, que mergulha por alguns momentos parte do planeta na escuridão, ocorre quando o diâmetro da Lua corresponde exatamente ao do Sol observado a partir da Terra. Este fenómeno é mais raro.