País

Brisa recusa comentar atropelamento mortal que envolveu carro do MAI 

Ministério da Administração Interna fez esclarecimentos um dia depois do acidente.

O Ministério Público abriu um inquérito para investigar o acidente com o carro do Ministro da Administração Interna (MAI) na A6 que ocorreu na passada sexta-feira. A viatura atropelou mortalmente um trabalhador de 43 anos que fazia a manutenção da via.

Um dia após o acidente, o MAI avançou em nota à comunicação social factos na tentativa de esclarecer o que aconteceu. Diz que a viatura não sofreu qualquer despiste e que foi o trabalhador que atravessou a via junto ao separador central, apesar de os trabalhos de limpeza estarem a decorrer na berma da autoestrada.

Acrescenta ainda que não havia sinalização que alertasse os condutores para a existência de trabalhos em curso.

Contactada pela SIC, a Brisa, concessionária da autoestrada, não comenta nem as afirmações do ministério, nem esclarece o tipo de trabalhos que decorriam no local. A empresa remete todas as explicações para o inquérito que está em marcha.