País

Sapadores florestais pousam o capacete e partem para greve

Profissionais protestam em frente ao Ministério do Ambiente.

Em plena época de incêndios, os Sapadores Florestais iniciam uma greve de dois dias. Esta quinta-feira, em protesto em frente ao Ministério do Ambiente, exigiram uma atribuição de carreira, a definição de um estatuto profissional e um aumento dos salários.

Os trabalhadores irão entregar uma carta na Residência do primeiro-ministro. O Governo criou um grupo de trabalho para discutir estas exigências, mas a primeira reunião só acontece em setembro.