País

Deco alerta para o aumento de burlas na internet

Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor receia o agravamento destas situações com o fim das moratórias.  

A pandemia agravou a situação económica das famílias e à Deco chegam cada vez mais pedidos de ajuda de pessoas que não conseguem pagar as contas.

Sem mais alternativas, muitos recorrem aos anúncios que surgem na internet e é aqui que aparecem os falsos intermediários de crédito.

Com o pagamento para a abertura de um processo, garantem empréstimos que podem chegar aos 30 mil euros.

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor deixa um conselho: tentar renegociar a dívida junto do banco sem recorrer a novos créditos e confirmar sempre se os intermediários de créditos estão registados no Banco de Portugal.