País

Do Paleolítico às invasões francesas: as descobertas na gruta de Avecasta, em Ferreira do Zêzere

As descobertas mais recentes referem-se ao paleolítico e constituem um testemunho relevante do modo de vida daqueles que na pré-história habitaram este território.

As prospeções na gruta de Avecasta, em Ferreira do Zêzere, continuam a surpreender os arqueólogos. As descobertas mais recentes remontam ao paleolítico e ajudam a perceber o modo de vida daqueles que habitaram o território na pré-história.

No espaço, composto por diversas galerias, guardam-se vestígios arqueológicos de importância extrema para a compreensão da historia dos povos que por aqui passaram.

Citada por Pinho de Leal, no século XIX, e descrita por António Baião, no Arqueólogo Português, esta gruta terá servido de abrigo aos povos do Paleolítico havendo igualmente memórias de quando serviu de esconderijo durante as invasões francesas.

O tipo de solo desta gruta é um dos fatores que proporcionou o estado de conservação bastante raro dos artefactos até agora encontrados. É esta uma das razões que levaram José Mateus, o arqueólogo responsável por esta campanha, a voltar às escavações que iniciou nos anos 80.

Apesar da importância desta gruta para a compreensão da História de Portugal, o Município de Ferreira do Zêzere alega desinteresse por parte do Governo.

Há muito as visitas às grutas da Avecasta são limitadas e a pandemia ainda veio dificultar mais o acesso porém, de acordo com o vereador da Cultura, pode realizar-se desde que fazendo um agendamento na Câmara Municipal.

  • A escola como uma gigantesca perda de tempo

    País

    Pode ser Eva. Fez um teste de Geografia e foi a única da turma a ter negativa. Dos seus olhos formosos e inexpressivos, num rosto negro como o touro do Herberto Helder, ruíram-lhe duas lágrimas. Mas daquelas que represam tanta água - tanta mágoa - que deixam cicatrizes aquosas. 43%.

    Opinião

    Rui Correia