País

Recurso a reformados tem sido a solução para a falta de médicos de família 

A solução encontrada na região de Lisboa e Vale do Tejo.  

mais de um milhão de portugueses que não tem médico de família.

Esta quarta-feira, no Parlamento, o presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo explicou como têm enfrentado a situação de falta se médicos de família na região.

De acordo com Luís Pisco, manter os aposentados a trabalhar e recorrer às misericórdias tem sido a estratégia adotada.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, são quase 3 milhões e 800 mil utentes e cerca de 620 mil não tem acesso a estes especialistas.

Nesta região do país, dos 15 agrupamentos de centros de saúde, não há um que escape à falta destes especialistas.

No último concurso de medicina geral e familiar, foram abertas 459 vagas em todo o país, mas 180 ficaram por preencher. No centro de saúde de Algueirão, foram 29 os lugares disponíveis para esta especialidade, mas apenas cinco foram assegurados.

Os médicos em exclusividade no Serviço Nacional de Saúde são cada vez menos. Em agosto, eram cerca de 4 mil médicos, uma redução face a 2015 (mais de 6 mil).

  • 2:29