País

Paulo Rangel vai candidatar-se à liderança do PSD

(Arquivo)

Horacio Villalobos

Anúncio será feito esta quinta-feira.

Paulo Rangel vai anunciar esta quinta-feira, no Conselho Nacional do PSD, que é candidato à liderança do partido.

Ao que a SIC apurou, Paulo Rangel avança para a corrida eleitoral seja qual for a data das diretas.

A direção do PSD propôs na quarta-feira que as eleições diretas para escolher o presidente do partido se realizem a 4 de dezembro, com eventual segunda volta uma semana depois, dia 11, e o Congresso entre 14 e 16 de janeiro.

Estas datas serão votadas no Conselho Nacional do PSD, que se reúne esta quinta-feira em Lisboa.

Os conselheiros nacionais receberam, além desta proposta, uma "hipótese de cronograma", em que as diretas se realizariam em 8 de janeiro (e, caso não existisse maioria absoluta de nenhum candidato no primeiro sufrágio, uma segunda volta no dia 15).

Neste caso, o 39.º do PSD Congresso realizar-se ia entre 4 e 6 de fevereiro, um calendário mais aproximado dos atos eleitorais de 2018 e 2020 (diretas em janeiro e reunião magna em fevereiro).

Em qualquer dos cenários, o congresso social-democrata acontecerá no Centro de Congressos de Lisboa.

Se o Conselho Nacional aprovar a realização de eleições diretas para 4 de dezembro, a data limite de pagamento de quotas será a 8 de novembro (5 de novembro para pagamentos por vale postal).

O prazo para a apresentação de candidaturas será até 22 de novembro, juntamente com as moções de estratégia global e orçamentos.
Caso o Conselho Nacional venha a rejeitar esta proposta e preferir a hipótese, o cronograma distribuído prevê que o pagamento de quotas termine em 17 de dezembro e as candidaturas tenham de ser formalizadas até 20 do mesmo mês.

No regulamento distribuído, introduz-se uma novidade em relação às últimas diretas: a possibilidade de os militantes poderem votar em mobilidade (numa secção diferente daquela que integram), desde que o peçam antecipadamente.

A reunião do Conselho Nacional realiza-se num hotel em Lisboa, sendo este o primeiro Conselho Nacional do PSD sob a liderança de Rui Rio, desde 2018, a realizar-se na capital, depois da vitória do social-democrata Carlos Moedas neste concelho nas autárquicas de 26 de setembro.

Anunciada a candidatura de Rangel, aguarda-se que o presidente do partido, Rui Rio, clarifique se é ou não recandidato.

As últimas eleições diretas para eleger o presidente do PSD realizaram-se em janeiro de 2020, com uma inédita segunda volta no dia entre Rui Rio e Luís Montenegro, e o congresso entre 7 e 9 de fevereiro.

Nessa segunda volta, e com um novo regulamento de quotas que causou polémica, dos 40.628 militantes em condições de votar, fizeram-no 32.582, uma taxa de participação de cerca de 80%.