País

Bruxelas diz que programa português de gestão de resíduos radioativos tem falhas

Bruxelas diz que programa português de gestão de resíduos radioativos tem falhas

Comissão Europeia dá dois meses para a correção das deficiências identificadas

A Comissão Europeia considerou esta quinta-feira que o programa nacional português de gestão de resíduos radioativos não está conforme à legislação da União Europeia (UE) e dá dois meses para a correção das deficiências identificadas.

A diretiva em causa estabelece um quadro que obriga à gestão responsável e segura do combustível irradiado e dos resíduos radioativos, a fim de garantir um elevado nível de segurança e de evitar impor encargos desnecessários às gerações futuras.

Segundo um comunicado, as regras da UE exigem, especialmente, que os Estados-membros elaborem e apliquem programas nacionais de gestão de todo o combustível irradiado e dos resíduos radioativos gerados no seu território, desde a produção até à eliminação.

Se Lisboa não der uma resposta satisfatória, Bruxelas poderá avançar para o Tribunal de Justiça da UE.

Os resíduos radioativos são gerados pela produção de eletricidade nas centrais nucleares, mas também pela utilização de materiais radioativos para fins clínicos, de investigação, industriais e agrícolas, não relacionada com a energia, significando isto que todos os Estados-membros produzem resíduos radioativos.

Últimas Notícias
Mais Vistos