País

Livre vê resultados das eleições de Itália "com inquietação"

Livre vê resultados das eleições de Itália "com inquietação"

O partido considera que a esquerda falhou ao dividir-se no país.

O Livre lamentou esta segunda-feira os resultados das eleições legislativas em Itália, que disse ver "com inquietação", mas ressalvou que a esquerda e outras forças progressistas "falharam ao não se aliarem", abrindo caminho à extrema-direita.

Num comunicado, o partido representado na Assembleia da República pelo deputado Rui Tavares lamentou "a divisão progressista" que "abriu caminho à extrema-direita".

"O Livre olha com inquietação para os resultados das eleições italianas, reiterando a necessidade em repensar as estratégias das forças democráticas, pela defesa da liberdade, da democracia e da Europa", lê-se o texto.

Para o partido, "estes resultados são mais um exemplo, mas talvez o mais importante, de bons resultados da extrema-direita nos últimos tempos, como aconteceu recentemente com a Suécia", deixando críticas aos partidos de esquerda.

"Num sistema político que passou a beneficiar coligações, a esquerda e outras forças progressistas que têm em comum a defesa de um modelo económico inclusivo de combate às desigualdades e às alterações climáticas falharam ao não se aliarem, dividindo votos e favorecendo a direita", criticam.

O Livre salienta ainda o facto de os níveis de abstenção terem sido "cerca de 10% mais elevados do que em 2018".

"A Aliança Esquerda Verde alcançou cerca de 3,54%, resultado que o Livre congratula. Contudo, perante a gravidade dos problemas atuais, da guerra na Ucrânia à crise climática, a esquerda falha na mobilização dos cidadãos para o voto", sublinhou.

Giorgia Meloni declarou vitória nas eleições legislativas de Itália

No domingo, mais de 50 milhões de italianos foram chamados a votar nas eleições legislativas italianas em que, devido à pulverização partidária, nenhum partido deverá obter uma maioria suficiente para governar sozinho. Partidos da direita e extrema-direita fizeram um acordo de coligação que poderá levar Giorgia Meloni ao poder e a tornar-se na primeira primeira-ministra de Itália.

De acordo com os resultados parciais, esta coligação, que inclui os partidos Irmãos de Itália, liderado por Giorgia Meloni, a Liga, de Matteo Salvini, e Força Italia, de Silvio Berlusconi, obteve 43% dos votos nas legislativas.

O partido Irmãos de Itália (FdI) liderado por Giorgia Meloni foi fundado em 2012 e tem raízes no Movimento Social Italiano (MSI), fundado pelos seguidores do ditador fascista Benito Mussolini. Durante a noite, Giorgia Meloni declarou vitória nas eleições legislativas, reivindicando a liderança do próximo Governo.

Últimas Notícias
Mais Vistos