País

138.º curso de Comandos: Exército explica-se e instaura processos disciplinares

138.º curso de Comandos: Exército explica-se e instaura processos disciplinares
Peter Macdiarmid

Dois formandos do 138.º curso de Comandos foram hospitalizados depois de paragens cardiorrespiratórias, em setembro. Um deles foi submetido a um transplante hepático.

O Exército informou, esta quarta-feira, que o apoio médico foi dado "adequadamente" no 138.º curso de Comandos e que os formandos foram hospitalizados devido a "cansaço acumulado" e "falta de preparação física". No entanto, decidiu instaurar um processo disciplinar a três militares e vai criar um grupo de trabalho para rever as regras do curso.

“O apoio médico-sanitário foi realizado adequadamente, de forma oportuna e conforme às situações enfrentadas” e “resulta a convicção que os fatores que levaram aos acontecimentos ocorridos tiveram origem no cansaço acumulado pelos formandos, agravado pela falta de preparação física”, lê-se no comunicado enviado às redações.

Recorde-se que um desses formandos foi submetido a um transplante hepático e o outro sofreu uma interrupção respiratória.

O Exército refere ainda que três militares da equipa de instrução foram alvo de um processo disciplinar devido a "indícios de infração disciplinar".

Além disso, o General Chefe do Estado-Maior do Exército determinou a constituição de um grupo de trabalho para uma revisão do curso. Os objetivos são criar uma formação "mais evolutiva", com uma fase "preparatória e adaptativa", uma atualização das normas e uma definição das ações médicas, físicas e psicológicas.

O 138.º Curso de Comandos vai reabrir "com brevidade", informou o exército, após a aprovação das propostas do grupo de trabalho. O curso está interrompido desde o dia 10 de setembro, altura em que começaram as averiguações ao caso.

O comunicado refere ainda que está “a decorrer, a cargo do Ministério Público, um processo de inquérito”, e que já forneceu “toda a documentação inerente ao Processo de Averiguações e Inspeção Técnica Extraordinária”.

O que se passou no 138.º curso dos Comandos

Dois militares do 138.º Curso de Comandos foram hospitalizados depois de sofrerem paragens cardiorrespiratórias, anunciou o Exército, que abriu um processo de averiguações. Um deles foi submetido a um transplante hepático.

O Exército informou que um militar que estava a frequentar o curso "sentiu-se indisposto" durante uma "marcha corrida de cinco quilómetros", no Regimento de Comandos da Serra da Carregueira, no distrito de Lisboa.

O militar foi "prontamente assistido" por dois socorristas e uma ambulância que acompanhavam aquela atividade e encaminhado para a Unidade de Saúde do Regimento de Comandos.

Mais tarde, pela hora do jantar, um outro militar sentiu-se indisposto e foi encaminhado para unidade de saúde daquele regimento.

Depois de dar entrada na unidade de saúde para observação, "sofreu uma interrupção súbita das funções cardíaca e respiratória", mas foi reanimado pela equipa médica no local.

O Exército indicou um total de seis intervenções em estabelecimento hospitalar no âmbito do 138.º curso: ao militar que foi transplantado, a um segundo militar que sofreu uma interrupção respiratória e que teve alta nos dias seguintes, e ainda a quatro militares no Hospital das Forças Armadas, no polo de Lisboa, "decorrente da revista de saúde feita a todos os instruendos, em 8 de setembro".

Últimas Notícias
Mais Vistos