País

Mais de 3.000 polícias feridos e quatro mortos em serviço nos últimos três anos

Relatório da Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI).

Mais de 3.000 elementos da PSP e da GNR ficaram feridos e quatro morreram em serviço nos últimos três anos, revelam dados da Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI).

Segundo a IGAI, que considera o trabalho dos agentes de autoridade "duro, difícil e que merece ser valorizado e reconhecido", 2.064 elementos da PSP e 1.026 militares da GNR foram feridos em serviço desde 2019.

Os agentes de autoridade mortos em missão pertencem à Guarda Nacional Republicana, que registou um morto em 2019, dois em 2020 e outra vítima em 2021, indica a IGAI, que fiscaliza a atividade das polícias.

A IGAI precisa que, no caso da Polícia de Segurança Pública, 749 polícias foram feridos em missão em 2019, 585 em 2020 e 730 em 2021.

Na GNR, 267 militares foram feridos em serviço em 2019, 294 em 2020, 267 em 2021 e 198 até 31 de outubro deste ano.

A IGAI manifesta ainda preocupação com o número de suicídios registados nas polícias, dando conta que este ano cinco militares da GNR cometeram suicídio.

"Pode ser por razões familiares. Mas o stress, as exigências enormes pedidas enquanto polícias terão contribuído para estes números, que são números francamente acima daqueles que encontramos na sociedade civil", realça a IGAI.

Últimas Notícias
Mais Vistos