Contas Poupança

Não se deixe enganar na Black Friday

JAVIER LIZON

É uma boa oportunidade para as lojas, que aproveitam para escoar o stock, e também para os consumidores, que podem conseguir grandes descontos. Mas nem todas as promoções são reais.

Estamos a poucos dias da Black Friday. De acordo com um estudo da Google Portugal, é uma data esperada por mais de metade dos portugueses.

Em Portugal, a roupa e o calçado estão no topo das preferências. Seguem-se os artigos tecnológicos e, depois, perfumes e cosmética.

Um outro estudo, realizado pela Observador Cetelem Natal 2019, indica que os portugueses ponderam gastar, em média, 168€. Mais 22€ do que gastaram há um ano. Já na Cyber Monday, um dia de grandes descontos para quem compra pela internet - que este ano é dia 2 de dezembro -, os consumidores pensam gastar 126€, mais 4€ do que no ano passado.

Black Friday

Black Friday

Stephanie Keith

Todos os anos, na última sexta-feira de novembro, a maioria das lojas faz promoções que podem chegar aos 80%. É uma boa oportunidade para as lojas, que aproveitam para escoar o stock, e também para os consumidores, que podem conseguir grandes descontos. Mas nem todas as promoções são reais. Isto porque há marcas que aumentam os preços dias antes para depois parecer que fazem grandes descontos.

Para que não seja enganado e compre de forma consciente, é importante ter atenção redobrada e preparar-se com alguma antecedência.

Em que condições posso trocar ou devolver um artigo?

É importante saber as políticas de trocas e devoluções das lojas. Mas há dois direitos que deve conhecer:

  • Os bens móveis têm um prazo de garantia de dois anos, mesmo que os tenha comprado em promoção. Se o artigo tiver um defeito que não esteja relacionado com a má utilização, deve ir à loja com o produto e o comprovativo de pagamento e exigir ao comerciante a troca ou a devolução com reembolso.

  • Quando compra online tem 14 dias, desde a data em que recebe o produto, para o devolver. Mesmo que o artigo não tenha qualquer defeito. Não precisa de dar nenhuma justificação. Alguns artigos não podem ser devolvidos. É o caso de alimentos, software que descarregou online e produtos personalizados. Como refere a DECO, "cabe ao consumidor suportar o custo, exceto se o vendedor indicar que suporta essa despesa ou omitir a informação. O vendedor tem 14 dias, a contar do momento em que foi informado da decisão, para fazer o reembolso. Caso não cumpra, tem de devolver os montantes pagos pelo consumidor a dobrar, no prazo de 15 dias úteis."

Compare os preços antes de comprar

Como lhe dissemos, deve estar atento às promoções. A nova lei dos saldos e promoções, que entrou em vigor em outubro de 2018, refere que o desconto praticado pelas lojas tem de ser sobre o preço mais baixo a que o artigo foi vendido nos últimos 90 dias. Mas se em algum momento durante esses três meses o produto esteve em saldo ou em promoção, esse preço não conta. Por isso, a promoção que vir na Black Friday pode, de facto, não ser real.

Para se proteger, deve comparar preços em diferentes lojas acompanhar o histórico de preços daquilo que quer comprar. Para isso, pode usar o comparador de preços da DECO ou o do KuantoKusta.