Eleições EUA

Eleições nos EUA. Republicanos queriam anular 127 mil boletins de voto, mas Tribunal rejeitou

O condado de Harris colocou à disposição dos eleitores 10 locais onde se pode votar sem sair dos automóveis.

O Supremo Tribunal do Texas rejeitou este domingo uma petição liderada pelos republicanos para anular quase 127.000 boletins de voto distribuídos na área de Houston e onde as pessoas votaram nos seus automóveis.

O Supremo Tribunal do estado, liderado pelos republicanos, rejeitou o pedido dos ativistas do Partido Republicano sem dar explicações. A questão dos boletins de voto ainda vai ser apreciada numa audiência de emergência do Tribunal Federal, na segunda-feira.

Um campo de batalha crucial no Texas

Os ativistas conservadores do Texas opuseram-se à liberalização dos locais de voto no condado de Harris (Houston é a sede e maior cidade do condado), onde já se registou um recorde de 1,4 milhões de votos antecipados para as eleições presidenciais de terça-feira nos Estados Unidos da América (EUA).

O condado é o terceiro maior do país e um "campo de batalha" crucial no Texas entre democratas e republicanos, nas eleições.

Os republicanos estão agora concentrados na decisão de segunda-feira do juiz distrital Andrew Hanen, tendo apresentado neste processo uma "bateria" de contestações judiciais sobre as medidas para aumentar as opções de voto durante a pandemia de covid-19.

Sondagens apontam vitória de Biden no Texas

O Presidente Donald Trump, candidato a um novo mandato, ganhou no Texas em 2016, mas as sondagens indicam agora que Joe Biden, o candidato democrata nas presidenciais, pode vencer no estado.

O condado de Harris colocou à disposição dos eleitores 10 locais (chamados "drive-thru") onde os quase cinco milhões de habitantes podem votar nos seus automóveis, sem terem de ir para dentro dos centros de votação e assim impedir a propagação do novo coronavírus.

O Supremo Tribunal rejeitou uma ação judicial idêntica no mês passado.

O Texas é um dos cinco estados norte-americanos que não permitiu uma votação generalizada por correio em tempo de pandemia de covid-19, que já matou mais de 18.000 pessoas em todo o estado.

No entanto foi antecipado o período de votação, pelo que mais de 9,7 milhões de pessoas já votaram por antecipação. Os analistas preveem uma afluência às urnas que pode ultrapassar os 12 milhões, sendo que o estado do Texas tem por norma das mais altas abstenções dos EUA.