Futuro Hoje

O Facebook do futuro? Casamentos e realidade virtual

SIC

Lourenço Medeiros

Lourenço Medeiros

Editor de Novas Tecnologias

Como se explica o F8? Oficialmente é a conferência anual onde o Facebook junta todas as pessoas e empresas, os developers como aqui se diz, que trabalham com o Facebook. É a grande celebração de uma empresa com enorme poder e com dois mil milhões de utilizadores. É em São José na Califórnia, perto da sede do Facebook. Esta é a primeira vez que são convidados jornalistas portugueses para assistir.

De todos, da Europa há apenas 27 mas há 90 jornalistas americanos. De Portugal veio a SIC e um jornalista do Observador. Um luxo, e só para ter uma ideia, não veio nenhum espanhol.

É óbvio que o Facebook quer melhorar a sua imagem depois do escândalo da Cambridge Analytica. Tem estado a apertar as regras ao ponto de existir algum mal-estar entre as empresas com negócios que dependem dos dados do Facebook. Alguns não vieram, outros vêm para protestar junto de quem tem o poder. Não estamos a falar de manifestações públicas, mas de reuniões pesadas

Marck Zuckerberg veio preparado como era de esperar. Abriu os trabalhos com prendas e mais prendas, começou por mais uma vez assumir os erros, a interferência da Rússia e as Fake News sem fazer uma referência direta às eleições americanas.

Está a falar para o mundo mas, sobretudo, para os programadores que criam ferramentas no Facebook, no WhatsApp e no Instagram que hoje são todos serviços da mesma empresa.

Admite que como empresa têm que assumir responsabilidades em que não pensavam há anos, estavam preparados para muitos ataques mas não para a interferência das grandes potências. O Facebook tem planos de desenvolvimento para dez anos, quando o mundo será muito diferente do que é hoje.

SIC

Ao longo da manhã foram explicadas muitas das formas, incluindo a inteligência artificial que serão usadas para controlar o conteúdo do Facebook. Entenda-se que controlar aqui quer dizer impedir a proliferação de notícias falsas e mensagem proibidas como os apelos à violência.

Além das máquinas de inteligência artificial, até ao fim do ano, o Facebook terá mais de 20 mil pessoas só a tratar da segurança dos conteúdos.

Para o utilizador, para todos nós, uma ferramenta lógica mas que tem que ser usada com cuidado. CLEAR HISTORY, ou limpar o histórico é algo que já podemos fazer com as páginas web normais. O Facebook vai permitir agora que cada um apague a história do que fez, o problema é que se o fizermos, o Facebook deixa de conhecer as nossas preferências e levará muito tempo a ser de novo interessante para quem apaga o seu próprio histórico. Mas Zuckerberg, agora, depois dos escândalos, considera que esta possibilidade é um direito dos utilizadores.

O que os programadores e as empresas aqui presentes querem saber é mesmo o que o Facebook vai ter de novo para melhorarem os seus negócios ou criar outros. Vai ser possível assistir a vídeos em conjunto com amigos e todos podem comentar, partilhar em direto as opiniões do que estão a ver. Risos na sala quando Zuckerberg mostra os seus amigos a seguirem em direto a declaração que teve que fazer recentemente aos senadores americanos.

Muito bruá na sala quando anuncia que o Facebook vai mesmo ter um serviço de dating. É quase um regresso às suas origens mas com a intenção de ser um casamenteiro e não um serviço de engate, a ver vamos. Neste momento, muitas empresas estão a pensar na concorrência de peso que vão ter pela frente.

O Instagram vai ter cara nova e entre muitas outras funcionalidades vai ter realidade aumentada, permitir brincadeiras muito para além dos atuais bonecos.

E, depois, há aquele velho sonho de podermos estar cara a cara com amigos distantes não apenas perante um ecrã mas com a sensação de presença física como se estivéssemos na mesma sala.

Ainda não é desta que isso acontece, mas a Oculus, outra das empresas do Facebook e uma das maiores especialistas em realidade virtual, deu mais um passo. Foram lançados os Oculus GO, que são pelo menos muito mais fáceis de usar do que as versões anteriores da mesma empresa.

É quase só abrir a caixa e usar, em qualquer sítio que tenha Internet. Nós vamos experimentar e contar aqui a experiência.

SIC