Investigação SIC

Milhares de edifícios em Portugal com amianto

Hoje no Jornal da Noite

Em Portugal há milhares de edifícios públicos, e privados, com materiais com amianto. Um produto altamente cancerígeno, que todos os anos mata mais de 100 mil pessoas em todo o mundo e cuja produção foi proibida, na União Europeia, a partir de 2005. Mas, até lá, foi um dos materiais mais usados na construção civil.

Durante décadas o amianto foi usado em milhares de edifícios, em comboios, em navios, em condutas, em depósitos de água, em caldeiras de aquecimentos em todo o tipo de isolamentos térmicos e acústicos e, sobretudo, nos telhados de fábricas, de casas, de escolas, de hospitais, museus, tribunais. E, em muitos destes locais, ainda lá está.

A SIC pediu informações atualizadas aos ministérios que tinham declarado ter edifícios com materiais de amianto quando o Estado fez o primeiro levantamento nacional em 2011. Todos remeteram a resposta para o Ministério do Ambiente que, no entanto, apenas forneceu os números globais nacionais.

O governo garante que vai limpar mais de 2 mil edifícios públicos até 2022.

O desconhecido Mundo do Amianto

A opinião de Carmen Lima, coordenadora do SOS AMIANTO e coordenadora do Centro de Informação de Resíduos da Quercus.

Amianto é uma palavra que quase todos nós já ouvimos e associamos aos telhados das casas, escolas e armazéns.

Na realidade, a maioria das vezes, achamos que não há grande mal, porque todos nós já estivemos expostos e ninguém se lembra de ter adoecido por isso. No entanto, existe uma realidade associada ao Amianto desconhecida pela maioria das pessoas.

Veja a reportagem na Investigação SIC, hoje, no Jornal da Noite.