Negócios da Semana

O Estado obstáculo

Os patrões estão todos de acordo: investir em Portugal é cada vez mais difícil, porque o Estado não cria condições às empresas. É a falta de confiança dos investidores que leva muitas vezes as empresas a querem "fugir" para o estrangeiro.

"São precisas 16 entidades para aprovar a construção de um hotel e o tempo médio de espera são seis anos" . É com esta realidade que os operadores turísticos têm de se debater, diz Atílio Forte, presidente da Confederação de Turismo.



Este é de resto um problema crónico em Portugal, concordam os patrões: a burocracia do Estado, que cria desconfiança nos investidores e os desmotiva, levando muitos a partir para o estrangeiro.



Em entrevista ao programa Negócios da Semana, Francisco Van Zeller, presidente da Confederação da Indústria (CIP), alerta para a "urgência de serem criadas condições para o investimento" .



João Vieira Pereira, director do Semanário Económico, afirma que "é preciso encontrar novos heróis em Portugal" que tenham coragem para investir.



São estas dificuldades, criadas pelo próprio Estado, é esta burocracia que leva muitas vezes a que o crescimento económico não seja maior.



Para este ano o Banco de Portugal prevê um crescimento de 0,5 por cento e Francisco Van Zeller diz que "se assim for, já é magnífico" .



Os patrões queixam-se ainda da rigidez da lei laboral e lembram ao governo que "as empresas não são nenhuma instituição de caridade" , afirma o presidente da CIP.



Sobre o caso mediático do momento, Fátima Felgueiras, todos estão de acordo que o que está a acontecer envergonha os investidores nacionais e estrangeiros. José António Silva, presidente da Confederação de Comércio, vai mesmo mais longe e diz que "este caso faz-nos pensar que sociedade é a nossa" .



Tudo para ver no programa Negócios da Semana, na SIC Notícias.