Saúde e Bem-estar

Medicamento para tratar a próstata pode retardar a progressão de Parkinson

Rupak De Chowdhuri

Descoberta foi publicada no Journal of Clinical Investigation.

No centro das atenções está uma substância de nome terazosina que ajuda a aliviar a hiperplasia prostática benigna (BPH) relaxando os músculos da bexiga e da próstata escreve a BBC. Investigadores consideram que o medicamento com esta substância pode retardar a progressão de Parkinson, algo que, atualmente, ainda não é possível.

A terazosina é apontada como sendo capaz de prevenir a degeneração das células cerebrais, provocada pela doença, se começar a ser tomada antes de se manifestar como também desacelerar o desenvolvimento, se for administrada no início da doença.

Ativa a enzima chamada PGK1, que tem um papel importante na prevenção da morte de células cerebrais.

Descoberta juntou investigadores da Universidade de Iowa, nos EUA, e do Instituto de Distúrbios Cerebrais de Pequim, na China.

Os investigadores testaram os efeitos em animais que sofrem de Parkinson.

"Quando testamos o medicamento em vários animais com a doença, todos mostraram melhorias", explica Lei Liu, um dos autores do estudo, à BBC.

"A coordenação motora melhorou e, ao mesmo tempo, os sinais moleculares da degeneração das células também melhoraram".

E assim conseguiram demonstrar que a Terazosina seria capaz de retardar ou interromper os processos neurodegenerativos da doença de Parkinson.

Perceberam também que, se o medicamento for tomado antes de a doença se manifestar, poderá prevenir a morte de células cerebrais.

O próximo passo é realizar um ensaio clínico em pacientes com Parkinson e avaliar a eficácia do medicamento.

O facto de se tratar de um medicamento que já se encontra no mercado, já considerado, por isso, seguro, irá facilitar o arranque dos ensaios clínicos em pacientes com Parkinson.