Saúde e Bem-estar

26% dos portugueses aumentaram de peso na pandemia

Obesidade agrava riscos nos doentes covid-19.

O Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável revela que mais de 26% dos portugueses aumentaram de peso na pandemia.

Estudos confirmam que a obesidade é mais um fator de risco para as formas graves da covid-19.

No Hospital de São João, no Porto, está um dos centros de referência no tratamento da obesidade em Portugal. Em dois anos, o centro hospitalar diminuiu de forma drástica o número de doentes obesos que estavam à espera de uma primeira consulta, mesmo quando pelo meio foi declarada pandemia e as pessoas tiveram de ficar em casa e mudaram hábitos alimentares.

Durante o primeiro confinamento não havia estudos que relacionassem a obesidade a formas graves da covid-19. Com o passar do tempo tornou-se claro.

A Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, concluiu que os obesos têm mais 48% de risco de morte prematura por covid-19.

A Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade diz que continuam a existir falhas no controlo e combate da doença. Por exemplo no acesso a medicamentos.

Só quando se está com obesidade mórbida e com tratamento cirúrgico marcado é que a medicação é comparticipada. Em Portugal, há mais de um milhão e meio de pessoas obesas.