Saúde e Bem-estar

Novo centro Botton-Champalimaud começa a receber doentes em janeiro

Diogo Sentieiro

Diogo Sentieiro

Repórter de Imagem

Flávio Valente

Flávio Valente

Editor de Imagem

É o primeiro projeto criado de raiz para a investigação e tratamento do cancro do pâncreas.

É no início do próximo ano que o novo centro Botton-Champalimaud arranca oficialmente. A chegada dos primeiros doentes está prevista para janeiro e, a partir daí, o centro começa a funcionar de forma progressiva para estar totalmente operacional em março.

Será o primeiro em todo o mundo a dedicar-se em exclusivo à investigação e tratamento do cancro do pâncreas, doença que já é a quarta causa de morte por cancro na Europa e nos Estados Unidos da América e que se estima que venha a ser a segunda, só atrás do cancro do pulmão, em 10 a 20 anos.

Este novo centro, que resulta de uma parceria entre a Fundação Champalimaud e o casal Mauricio e Carlotta Botton, terá capacidade para operar até 10 doentes por dia, com recurso a tecnologia avançada.