Saúde e Bem-estar

Surtos de gripe das aves colocam Europa e Ásia em alerta

Charlie Neibergall

Novos casos do vírus têm sido reportados diariamente por vários países europeus e asiáticos. Bélgica reforçou medidas e França colocou o país em alerta.

Vários surtos de gripe das aves com origem na Europa e na Ásia foram reportados nos últimos dias à Organização Mundial de Saúde Animal. O vírus está a espalhar-se de forma rápida e está a deixar a indústria das aves em alerta.

Esta terça-feira, a Noruega reportou a suspeita de um segundo surto numa quinta, poucos dias depois de ter confirmado o abate de 7.000 aves numa propriedade vizinha, em Rogaland, no sudoeste do país.

Foi identificado também um terceiro surto no Japão, divulgou hoje o Ministério da Agricultura japonês, que teve origem numa quinta com cerca de 11 mil galinhas na cidade de Izumi.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde Animal, a Coreia do Sul reportou um surto numa propriedade com 770 mil aves em Chungcheongbuk-do na segunda-feira. Todos os animais foram abatidos.

A disseminação do vírus está a deixar outros países em alerta. A Bélgica, por exemplo, já reforçou as medidas contra a gripe das aves. Os animais devem ser mantidos em ambientes fechados, depois de ter sido identificado um caso de gripe das aves num ganso em em Schilde, uma cidade perto de Antuérpia.

Na semana passada, a Alemanha detetou o vírus numa quinta no norte do país com cerca de 39 mil patos. Dias antes, a Polónia dava conta de vários casos de gripe das aves numa quinta com 650 mil aves.

Na sequência dos surtos, o Governo francês colocou todo o país em alerta e pediu que todas as aves sejam mantidas em locais fechados. O vírus também já foi identificado na Holanda e no Reino Unido.

A rápida disseminação do subtipo H5N6 da gripe das aves está a preocupar os epidemiologistas, uma vez que o vírus pode ser transmitido a humanos. Desde o início do ano, a China relatou 25 infeções humanas com o subtipo H5N6, informou o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças.