Saúde e Bem-estar

Como uma mulher capaz de “cheirar” Parkinson pode mudar o diagnóstico desta doença

Como uma mulher capaz de “cheirar” Parkinson pode mudar o diagnóstico desta doença
Jorg Greuel
Sim, leu bem. Há uma mulher escocesa capaz de detetar Parkinson pelo olfato.

Investigadores britânicos criaram um teste que dizem ser capaz de detetar se um doente tem Parkinson em apenas três minutos. Mas o mais “insólito” é que este teste foi inspirado numa mulher escocesa que consegue detetar a doença pelo olfato.

Joy Milne, de 72 anos, identificou mudanças no cheiro do marido 12 anos antes de este ter sido diagnosticado com Parkinson.

“Ele tinha um cheiro desagradável, especialmente nos ombros e no pescoço e o aspeto da pele dele também mudou”, contou à BBC.

Mas Joy só descobriu que era capaz de detetar a doença pelo olfato depois de Les, o marido, ser diagnosticado pelos médicos e de ter participado numa reunião de apoio a doentes. Ao acompanhar o marido a um desses encontros, reparou que todos os participantes tinham o mesmo cheiro “estranho”.

Agora, investigadores da Universidade de Manchester estão a trabalhar com a mulher no desenvolvimento de um teste que dizem ter uma eficácia de 95% a detetar Parkinson com base numa simples amostra recolhida por uma zaragatoa esfregada na pele.

A professora Perdita Barran, líder do estudo, explicou que um teste como este pode ser “transformador” na deteção da doença.

O Parkinson não tem cura e apresenta uma série de sintomas como dificuldades motoras, dificuldades na fala e tremores. Atualmente não há nenhum teste de diagnóstico para a doença.

Últimas Notícias
Mais Vistos