Notícias

Rastreio gratuito do cancro da mama para 600 mil mulheres

O rastreio gratuito vai ser alargado, num período de dois anos, aos distritos de Lisboa e Setúbal

Yannis Behrakis

O rastreio gratuito do cancro da mama é alargado, nos próximos dois anos, aos distritos de Lisboa e Setúbal, podendo beneficiar, no total, 600 mil mulheres, na região sul, até 2023 , anuncia hoje em comunicado a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC)

O acesso aos rastreios é proporcionado a mais 400 mil mulheres, entre os 50 e os 69 anos, verificando-se uma cobertura de 100% do território nacional.

O Dia Mundial do Cancro, na próxima quinta-feira, 4 de fevereiro, é assinalado com o início do rastreio na Unidade Móvel da LPCC, junto ao Centro de Saúde de Alcochete, com a presença dos representantes do Núcleo Regional do Sul da Liga Portuguesa Contra o Cancro (NRS-LPCC) e da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT). A Alcochete, seguem-se os municípios do Montijo e da Moita, nos meses de fevereiro e março, devendo as restantes datas ser anunciadas durante o ano.

Com esta iniciativa, as mulheres dos distritos de Lisboa e de Setúbal passam a contar com a melhor qualidade do diagnóstico nesta área, possibilitada por equipas técnicas especializadas e equipamentos digitais novos.

Os procedimentos de segurança e higienização serão assegurados, de forma a manter o bom funcionamento do rastreio durante o atual período de pandemia, referem os responsáveis pelos rastreios.

Esta iniciativa partiu do Núcleo Regional do Sul da Liga Portuguesa Contra o Cancro, em 1997, e foi-se alargando gradualmente ao longo do tempo, tendo já sido realizadas cerca de cinco milhões de mamografias em todo o país e um milhão, na região sul.

Notícias

Mais