Operação Miríade

Tráfico em missões militares: como funcionava o alegado esquema de corrupção

Tráfico em missões militares: como funcionava o alegado esquema de corrupção
Gleb Garanich

O alerta foi dado há quase dois anos e esta segunda-feira foram feitas as primeiras detenções no âmbito da Operação Miríade.

A Polícia Judiciária deteve, esta segunda-feira, dez pessoas durante as buscas em 100 locais em todo o país por suspeitas de tráfico de diamantes e ouro em missões militares noutros países, como na República Centro-Africana (RCA).

Num comunicado, as Forças Armadas garantiram que a investigação nasceu de uma denúncia interna. "Em dezembro de 2019 (...)" chegou aos ouvidos do "Comandante da 6ª Força Nacional Destacada (FND), na República Centro-Africana (MINUSCA),"a possibilidade de alguns militares (...) terem sido utilizados como correios no tráfego de diamantes, ouro e estupefacientes."

No mesmo comunicado, o Chefe de Estado Maior garantiu que a situação foi reportada imediatamente "à Polícia Judiciária Militar (PJM) para investigação".

"A PJM fez a respetiva denúncia ao Ministério Público que nomeou como entidade responsável pela investigação a Polícia Judiciária."

Desde então, garantem as Forças Armadas, "foram reforçados os procedimentos de controlo e verificação à chegada dos militares das Forças Nacionais Destacadas e respetivas cargas."

Quase dois anos depois, foram feitas as primeira detenções: vários praças, alguns que já saíram do Exército, um agente da PSP e um GNR ainda em formação.

As suspeitas indicam que, durante a missão das Nações Unidas na República Centro Africana, usaram os meios de transporte aéreo do Exército para traficar, ouro, diamentes e droga. Em Portugal, criaram os chamados testas-de-ferro para abrir contas bancárias por onde circulava o dinheiro. O branqueamente de capitais passava ainda pela compra de criptomoedas.

A operação levada a cabo pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária é a maior do último ano e contou com a colaboração da Autoridade Tributária.

Loading...
Últimas Notícias
Mais Vistos