Cultura

Nobel da Literatura: escritor africano reconhecido por temas como colonialismo e refugiados

Abdulrazak Gurnah publicou 10 romances e vários contos, desde 1968.

Abdulrazak Gurnah, escritor de 73 anos, recebeu o Prémio Nobel da Literatura 2021 por abordar temas como os efeitos do colonialismo e o destino dos refugiados no fosso entre culturas.

Desde a publicação do primeiro livro do escritor tanzaniano, que palavras como deslocação, exílio, identidade e cultura se repetem nas suas obras.

A obra "Memory of Departure" seria a primeira prova de um estilo que reflete a experiência de Abdulrazak Gurnah, quando chegou ao Reino Unido em 1968, vindo da ilha de Zanzibar.

Refugiado, defrontou-se com os choques culturais de identidades como a muçulmana e a britânica, fontes de inspiração para o escritor.

Abdulrazak Gurnah publicou 10 romances e vários contos, mas apenas uma obra está traduzida para português, o livro "Junto ao Mar", editado em 2003.

Atualmente é professor de literatura na Universidade de Kent, no Reino Unido e é o primeiro escritor africano a receber o Nobel da Literatura da Academia Sueca desde 1986.

Na história do Nobel da Literatura, o escritor africano, Gurnah, sucede ao nigeriano Wole Soyinka, em 1986.

VEJA TAMBÉM: