Desporto

Rússia excluída de Jogos Olímpicos e Mundiais por quatro anos

Matthias Schrader

A decisão da Agência Mundial Antidopagem exclui a Rússia dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 e do Campeonato do Mundo de Futebol.

A Rússia foi hoje excluída dos Jogos Olímpicos durante quatro anos, devido a questões de doping levadas a cabo com o apoio estatal tornadas públicas há cerca de seis anos, anunciou a Agência Mundial Antidopagem (AMA).


De acordo com um porta-voz da AMA, "a decisão foi tomada por unanimidade", determina a exclusão da Rússia dos Jogos Olímpicos de Verão Tóquio2020, de Inverno Pequim2022 e de todos os campeonatos do Mundo, e prevê a possibilidade de os atletas competirem sob bandeira neutra.


A decisão, tomada pelo comité da AMA que avalia o cumprimento dos regulamentos, é passível de recurso para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

Já em novembro, um comité independente da AMA recomendava que a agência russa antidopagem (Rusada) seja declarada "não-conforme", comprometendo a participação russa nos Jogos Tóquio 2020.

Esta recomendação aconteceu no mesmo dia em que o Conselho da World Athletics, organismo que rege o atletismo mundial, anteriormente denominado IAAF, suspendeu o processo de reintegração da Rússia, afastada desde novembro de 2015, na sequência de um escândalo de doping institucional.

A decisão foi tomada numa reunião do Conselho da World Athletics, um dia depois da suspensão provisória de cinco dirigentes da federação russa da modalidade (Rusaf), entre os quais o presidente Dmitri Chliakhtin, suspeitos de "obstrução a um inquérito" ao saltador em altura Danil Lysenko.

Os responsáveis da Rusaf são acusados de fornecer documentos falsos para permitir ao vice-campeão do Mundo de 2017 escapar a uma sanção por ter faltado às obrigações de localização para controlos inopinados.

Além desta situação, a Rússia tem estado no centro das atenções da AMA nos últimos meses, com um inquérito sobre a possível falsificação de dados do laboratório de Moscovo - que esteve no coração do sistema de dopagem entre 2011 e 2015 - transmitidos à AMA e à Unidade de Integridade do Atletismo.

Com Lusa