Desporto

Caso Rúben Amorim. O que está em causa e o que pode acontecer ao Sporting e ao treinador

Entrevista SIC Notícias

As explicações de Lúcio Correia, professor de Direito Desportivo.

A SIC falou com o professor Lúcio Correia sobre o caso Rúben Amorim.

O professor de Direito Desportivo esclareceu que o que está em causa é a diferença entre a aplicação da lei de treinadores e a aplicação do regulamento de competições.

O Sporting incorre numa multa, mas o treinador pode de facto ser suspenso caso se prove o dolo e, para isso, é necessário provar que houve intenção de forjar a ficha de jogo ao indicar Emanuel Ferro como treinador principal, quando de facto era o Ruben Amorim o técnico principal.

As provas podem passar por testemunhas, imagens vídeo, a forma como as pessoas são apresentadas, as instruções para o campo ou as próprias conferência de imprensa.

Para Lúcio Correia, o que está em causa é fragilidade da lei que permite que seja contornada.

Sporting e Rúben Amorim acusados de fraude pela Liga

O Sporting está a ser acusado pela Liga Portuguesa de Futebol de fraude na inscrição de Rúben Amorim como treinador. A multa para o técnico pode ser de um a seis anos de suspensão.

A queixa foi apresentada pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol, em março de 2020, e a acusação da Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol foi agora conhecida.

O Sporting alega que Rúben Amorim, à data da queixa, foi inscrito como treinador adjunto por ainda não ter habilitações para ser inscrito como treinador principal. Acrescenta que o mesmo já aconteceu com outros treinadores e clubes, inclusivamente essa era a condição em que Rúben Amorim se encontrava no Sporting de Braga quando foi contratado pelo Sporting.

Na altura da transferência de Rúben Amorim do SC Braga para o Sporting, a Associação Nacional de Treinadores fez igualmente uma queixa contra Custódio, que assumiu o comando técnico da equipa minhota.

A queixa reside no facto de Custódio não possuir nível IV, exigível pelo regulamento de competições para exercer a função de treinador. Na altura, Custódio tinha apenas o nível I, que o obrigava a marcar presença no banco de suplentes do Braga na condição de terceiro treinador, uma vez que para ser adjunto é necessário possuir o nível II.

Ao que a SIC apurou, os casos não são semelhantes, pois Custódio não foi inscrito como treinador-adjunto. O Sporting de Braga já recebeu a notificação do inquérito e vai responder em sede própria.

Em relação a Ruben Amorim, esta não é a primeira vez que se vê envolvido numa polémica relacionada com a condição de treinador e a Associação Nacional de Treinadores. Em 2019, quando integrava a equipa técnica do Casa Pia como treinador-estagiário, foi suspenso por três meses por ter sido visto a dar orientações à equipa em vários jogos.

Foram retirados seis pontos ao Casa Pia, que teve ainda de pagar uma multa de 14 mil euros e jogar cinco encontros à porta fechada.

À SIC, a Associação Nacional de Treinadores de Futebol esclarece que, enquanto o processo estiver a decorrer no Conselho de Disciplina, não se vai pronunciar.

  • O bicho homem em quatro episódios

    Opinião

    Gostava muito de partilhar o otimismo de Attenborough e de Bregman. Mas depois há episódios como o da Superliga. Ou o das vacinas concentradas no hemisfério Norte. E a esperança esvai-se. Como as superfícies geladas do Ártico no verão.

    Cristina Figueiredo