Desporto

Três jogos adiados em Minneapolis após morte de afro-americano Daunte Wright

Campo de basebol em Minneapolis

Jesse Johnson

A nova morte de um jovem afro-americano acontece quando o julgamento de Derek Chauvin, o polícia acusado de homicídio pela morte de George Floyd, está a decorrer.

Um jogo de basquetebol, outro de basebol e um outro de hóquei no gelo foram adiados esta madrugada em Minneapolis, após a morte do afro-americano Daunte Wright durante um controlo policial.

"À luz destes eventos trágicos, o encontro entre os Minnesota Timberwolves e os Brooklyn Nets foi adiado. A decisão foi tomada pela NBA após conversar com os clubes e autoridades locais", declarou a Liga norte-americana de basquetebol.

A morte de Wright motivou protestos com centenas de pessoas nas ruas, em frente à esquadra da polícia no Brooklyn Center, um subúrbio de Minneapolis, mesmo com recolher obrigatório, levando a confrontos com a polícia.

Além da NBA, também o jogo da Liga de basebol entre os Minnesota Twins e os Boston Red Sox foi passado para outra data, como o Minnesota Wild-St. Louis Blues, do campeonato de hóquei no gelo.

No domingo, durante um controlo de trânsito no Brooklyn Center, uma agente branca disparou, alegadamente "acidentalmente", contra o afro-americano Daunte Wright, de 20 anos, segundo explicou o chefe de polícia local, Tim Ganno, numa conferência de imprensa realizada na segunda-feira.

Segundo Ganno, a agente queria usar uma arma de eletrochoque conhecida como 'taser' para imobilizar Wright, mas enganou-se e disparou um tiro com a arma de serviço, matando o homem.

O veículo foi intercetado porque não tinha alguns papéis em ordem. As autoridades pediram a Wright para se identificar e depois perceberam que havia um mandado pendente por não comparecer em tribunal pelos crimes de posse ilegal de arma e por resistir à detenção.

Quando tentaram detê-lo, o jovem resistiu, tentando voltar para o veículo, e foi baleado pela polícia.

A nova morte de um jovem afro-americano acontece quando o julgamento de Derek Chauvin, o polícia acusado de homicídio pela morte de George Floyd, está a decorrer.

Floyd desencadeou um movimento antirracista considerado histórico, pelas proporções e duração das ações, numa mobilização que chegou ao desporto e continuou após outra morte: Jacob Blake, de 29 anos, em Kenosha.