Desporto

João Matos assegura que Portugal vai "dar a vida" na final de futsal

TOMS KALNINS

A seleção portuguesa irá defrontar a Argentina este domingo.

O fixo João Matos assegurou este sábado que a seleção portuguesa de futsal vai "dar a vida" na histórica final do Mundial de 2021, com a Argentina, com "confiança e rigor" em todo o processo que têm consolidado.

"Se não desfrutarmos e dermos a vida neste jogo, vamo-nos arrepender. Olhar muito para nós, para o que podemos fazer, para a estratégia e planeamento do jogo, sentir e aproveitar o momento. É o que queremos e temos consolidado entre nós. Se dermos a vida, desfrutarmos e houver confiança e rigor no nosso processo, vamos conseguir", frisou, em conferência de imprensa de antevisão ao encontro decisivo da competição.

O grupo "está extremamente motivado e confiante" para concluir o "extraordinário trajeto desde 8 de agosto", data em que se iniciou a concentração, em Rio Maior, e João Matos garantiu que foi para estes momentos que se prepararam mentalmente.

"Temos um leque de jogadores que já conquistou praticamente tudo e só falta este [título], que vingaram na Europa e foram campeões europeus em clubes e seleções. Não é por a Argentina ser campeã do mundo que tem jogadores mais experientes", vincou.

O jogador do Sporting, de 34 anos, considerou que a partida dos quartos, com a Espanha, foi "o auge" do percurso da equipa das quinas, catapultando "o estado emocional e de confiança", embora tenham caído "um pouco" frente ao Cazaquistão.

"Tem sido muito duro. Foram três jogos em prolongamento, extremamente intensos. Nada nos vai mandar abaixo e, num momento tão grandioso como este, não nos pode retirar deste jogo", assumiu internacional português em 165 ocasiões, com 20 golos.

João Matos mostrou como vê o filme do jogo de domingo: "Quero olhar muito para Portugal, tendo em alerta as condicionantes e estratégia da Argentina. Aproveitarmos as nossas oportunidades, ter muita confiança no processo e ganharmos à Argentina".

"São duas equipas que têm vindo a trabalhar extremamente bem nos últimos anos. Temos cimentado processos e o auge foi em 2018, mantendo a forma de trabalhar e convictos de que este é o caminho certo para triunfar. Estamos agora a um dia de completar os 58 dias que prometemos a nós próprios estarmos todos juntos", afirmou.

Questionado sobre se este também será o seu último Mundial, tal como Ricardinho, João Matos observou: "Enquanto me sentir ativo e com forças para continuar a jogar, cá estarei. Nunca irei dizer que não à seleção."

A final do Mundial de futsal, entre Portugal e Argentina, disputa-se no domingo, às 20:00 (18:00 em Lisboa), na Zalgiris Arena, em Kaunas, na Lituânia, após Brasil e Cazaquistão decidirem o terceiro e o quarto lugar do torneio, com início às 18:00 (16:00 em Lisboa).

► Veja mais: