Economia

UE aprova abertura de negociações para acordo comercial "limitado" com EUA

Gonzalo Fuentes

França foi o único país que votou contra.

Os Estados-membros da União Europeia deram hoje 'luz verde' à abertura de negociações comerciais com os Estados Unidos, com vista a um futuro acordo que será limitado a bens industriais, de alcance muito menor do que o famigerado TTIP.

O Conselho da União Europeia, reunido no Luxemburgo ao nível de ministros da Agricultura, aprovou hoje o lançamento de negociações com Washington proposto em janeiro passado pela Comissão Europeia, tendo a França votado contra, sabendo de antemão que tal não inviabilizaria o aval às conversações, pois as decisões sobre matérias comerciais na UE são tomadas por maioria qualificada, não necessitando de unanimidade.

O âmbito do acordo comercial que UE e Estados Unidos vão tentar "fechar" ainda antes do final do mandato da atual Comissão Europeia (31 de outubro próximo) é muito mais restrito do que o do polémico acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento, conhecido pela sua sigla inglesa TTIP, que o Conselho da UE hoje mesmo reiterou que está "obsoleto".

O TTIP, acordado em 2013, "caiu" na sequência da eleição de Donald Trump como Presidente dos Estados Unidos, e este "novo acordo comercial limitado" visa por fim às tensões com a Casa Branca, que ameaça taxar a indústria automóvel europeia, setor vital para a economia alemã.

O novo acordo que as partes deverão começar a negociar assim que os Estados Unidos adotarem o seu mandato negocial, abrangerá então somente bens industriais, deixando de fora os setores da agricultura, serviços e mercados públicos.

"A agricultura não vai fazer parte destas negociações. Essa é uma linha vermelha para a União Europeia", confirmou hoje em conferência de imprensa a comissária europeia do Comércio, Cecília Malmström.

Lusa.

  • Via Sacra – Episódio 2
    26:42