Economia

O filme da maratona negocial que pôs fim ao caos nas bombas de gasolina

TIAGO PETINGA

Esta quinta-feira de madrugada, tinha sido anunciado o alargamento dos serviços mínimos a todo o país.

A greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas terminou esta quinta-feira de manhã, com o anúncio por parte do Governo de que as partes envolvidas chegaram a acordo.

A greve dos motoristas de transporte de combustíveis começou às 00:00 de segunda-feira e foi convocada pelo Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), por tempo indeterminado, para reivindicar o reconhecimento da categoria profissional específica.

Esta quinta-feira de madrugada, tinha sido anunciado o alargamento dos serviços mínimos a todo o país, prevendo a realização de 40% das operações normais de abastecimento de combustíveis.

Já esta quinta-feira de manhã, depois de reuniões bilaterais, durante a madrugada, entre o Governo e cada uma das partes envolvidas, o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, anunciou o fim da greve e destacou a garantia de "paz social" acordada e referiu que haverá uma "normalização gradual" do abastecimento de combustíveis no país.

Os principais acontecimentos entre o início das negociações e o anúncio do acordo:

Quarta-feira, 17 de abril, 17:00:

- Início da reunião, no Ministério do Trabalho, entre o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) e o Governo.

- Reunião conta também com a presença de representantes da Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) e da Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Quinta-feira, 18 de abril, 02:00:

- Final da reunião, em que acordo para o alargamento dos serviços mínimos a todo o país é alcançado entre o Governo e as partes, prevendo-se a realização de 40% das operações normais de abastecimento de combustíveis.

- Pedro Henriques, do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosos (SNMMP), explica que a greve se iria manter e que as partes iriam voltar a reunir-se durante o dia de hoje.

- O presidente da ANTRAM, Gustavo Paulo Duarte, reitera que o caderno reivindicativo do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) só será discutido com o levantamento da greve.

- O secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita, diz que os portugueses poderão ter uma Páscoa mais tranquila, com o alargamento dos serviços mínimos.

- No final da reunião no Ministério do Trabalho, as partes seguem para o Ministério das Infraestruturas, onde têm reuniões bilaterais com o Governo, que contam com a presença do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, com o secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, e com o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita.

Quinta-feira, 18 de abril, 07:00:

- Alcançado o acordo que põe fim à greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas, depois de 'maratona' negocial começada na tarde de quarta-feira no Ministério do Trabalho e termina na manhã de hoje, no Ministério das Infraestruturas.

Quinta-feira, 18 de abril, 08:30:

- Pedro Nuno Santos anuncia o fim da greve e destaca garantia de "paz social" acordada entre os motoristas de matérias perigosas para o processo negocial, referindo que haverá uma "normalização gradual" do abastecimento de combustíveis no país.

- Na mesma declaração, o ministro refere que a primeira reunião negocial entre as partes decorrerá no dia 29 de abril.

- Divulgado protocolo de acordo entre a ANTRAM e o SNMMP, que põe fim à greve e prevê concluir até dia 31 de dezembro um processo de negociação coletiva entre as partes.

- Este processo, de acordo com o documento, distribuído aos jornalistas em conferência de imprensa, em Lisboa, visa "promover e dignificar a atividade de motorista de materiais perigosos" e será acompanhado pelo Governo.

Lusa