Economia

"Se não tivesse havido privatização (em 2015), a TAP acabaria"

"Se não tivesse havido privatização (em 2015), a TAP acabaria"

As declarações do presidente do conselho de administração da companhia aérea, Miguel Frasquilho.

Miguel Frasquilho admite que este será um ano de elevados prejuízos para a TAP e diz inda que o lay-off na empresa não irá terminar em julho.

Para o presidente de conselho de administração da empresa, a privatização em 2015 era a única solução para a companhia aérea.

TAP. Quão dolorosa vai ser a reestruturação? O ministro responde

"É evidente que uma intervenção deste montante implica - implicaria sempre - que nós fizéssemos um ajustamento na empresa", começou por dizer Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, numa entrevista no Jornal da Noite da SIC.

Admitiu, de seguida, que a reestruturação vai ter consequências, nomeadamente nas rotas, no número de aviões e nos custos com o pessoal, tal como já tinha dito o primeiro-ministro, António Costa.