Economia

TAP. Pacote de medidas incluirá rescisões e licenças não remuneradas

Rafael Marchante

A SIC teve acesso a uma comunicação feita aos trabalhadores.

A TAP prevê a saída de mais de 1.800 trabalhadores e cortes de salários de 25%. Os números foram avançados pelos sindicatos do setor, que se reuniram na sexta-feira com a administração da companhia aérea.

Propostas de rescisões e licenças não remuneradas avançam nas próximas semanas

Num e-mail enviado aos colaboradores, a que a SIC teve acesso, vai ser proposto nas próximas semanas um pacote de medidas voluntárias, que incluirá rescisões por mútuo acordo, licenças não remuneradas de longo prazo e trabalho a tempo parcial.

O Conselho de Administração adianta ainda que "estão colocados para discussão cenários como a suspensão do pagamento de alguns complementos remuneratórios, cortes salariais transversais, garantindo um valor mínimo que assegure a proteção aos salários mais baixos, e ainda a possibilidade de adequar o número de trabalhadores a uma operação que nos próximos anos será reduzida em 30% a 50%, retrocedendo assim a valores vividos há mais de uma década".

"Só com o contributo de todos poderemos salvar a TAP e manter em atividade uma companhia cujos mais de 75 anos de história nos orgulham. Para assegurar uma TAP relevante no contexto do nosso país e no mundo, apta a voltar a contribuir para o desenvolvimento da economia portuguesa, temos muitos sacrifícios pela frente", lê-se na comunicação.

No final de 2019, a TAP empregava cerca de 10.600 trabalhadores e pagava mais de 750 milhões de euros em salários.

O plano de reestruturação

O plano de reestruturação da TAP tem de chegar a Bruxelas até ao dia 10 de dezembro, sendo uma exigência da Comissão Europeia pela concessão de um empréstimo do Estado de até 1.200 milhões de euros, para fazer face às dificuldades da companhia, decorrentes do impacto da pandemia de covid-19 no setor da aviação.

A companhia portuguesa informou ainda a CMVM que não vai aderir ao regime de apoio extraordinário à retoma progressiva durante o mês de dezembro.