Economia

Reestruturação da TAP. CDS diz que vai ser necessário um orçamento retificativo

João Gonçalves Pereira fala em mais 470 milhões de euros para a companhia aérea.

O impacto orçamental do plano de reestruturação da TAP vai obrigar a um orçamento retificativo no próximo ano para injetar mais 470 milhões de euros na empresa em 2021.

A informação foi avançada pelo CDS, já depois de ter estado reunido com o Governo esta manhã, durante cerca de uma hora e meia, na Assembleia da República, em Lisboa.

"Pela leitura dos números daquilo que nos foi transmitido percebe-se claramente que terá que haver já no próximo ano um reforço orçamental de mais cerca de 470 milhões de euros", afirmou o centrista João Gonçalves Pereira, indicando que a sua conclusão é que "haverá um retificativo no próximo ano, mais que não seja por esta questão da TAP".

João Gonçalves Pereira adiantou ainda que o Executivo ainda está a ponderar se leva o plano de reestruturação da TAP a votos no parlamento.

Disse também que o CDS saiu da reunião "com preocupação", uma vez que a companhia aérea "implica um envelope financeiro de muitos milhões de euros, não numa única tranche mas em várias tranches, naquilo que é a previsão dos próximos anos".