Economia

Impasse entre Groundforce e TAP. "Alfredo Casimiro começou por ter razão, mas neste momento não tem"

José Gomes Ferreira na Edição da Noite da SIC Notícias.

O jornalista da SIC José Gomes Ferreira considerou que o acionista maioritário, Alfredo Casimiro, tinha razão na quarta-feira. No entanto, defendeu que, neste momento, perdeu-a.

"Alfredo Casimiro começou por ter razão, mas neste momento não tem", afirmou José Gomes Ferreira, na Edição da Noite, lembrando que o acionista acusa o ministro Pedro Nuno Santos de se aproveitar da pandemia.

"Historicamente, ontem tinha razão porque o cenário que existia era que o ministro e o Governo exigiam que, para a TAP emprestar dinheiro de emergência, tinha de ser garantido por ações e pago até 31 de março. Isso era impossível e, portanto, desconfiava-se que ministro queria nacionalização", explicou,

No entanto, esta quinta-feira à tarde, depois de um acordo praticamente fechado durante a manhã, as negociações sobre o pagamento dos salários em atraso na Groundforce entre o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, Alfredo Casimiro recuaram.

O acionista admitiu entregar ações à TAP, mas rejeitou perder o controlo da companhia, caso não consiga pagar o empréstimo no futuro.

José Gomes Ferreira prevê que o empresário não vá conseguir ter dinheiro para pagar os salários aos funcionários e vai ficar com uma dívida aos trabalhadores e credores.

  • "Quando cheguei ao hospital estava a ter um enfarte"

    Olhar pela Saúde

    Anos a fio de uma alimentação à base de gorduras e excesso de sal, tabagismo e sedentarismo fizeram com que José Santos fosse parar a uma cama de hospital aos 48 anos. O diagnóstico: enfarte agudo do miocárdio provocado por colesterol elevado e hipertensão arterial. Vários hábitos tiveram de mudar e as idas ao médico passaram a ser mais frequentes.

    Exclusivo Online

    Bárbara Ferreira

  • 2:33