Economia

Portugal foi o primeiro país a apresentar a versão final do Plano de Recuperação e Resiliência

Primeiro-ministro diz que o plano vai exigir velocidade, rigor e escrutínio durante a execução.

Portugal já submeteu o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) à Comissão Europeia, sendo o primeiro Estado-membro da União Europeia a concretizar a entrega da versão final do documento.

O PRR agora oficialmente entregue é resultado do trabalho conjunto com a Comissão Europeia e dos contributos resultantes da consulta pública. Este plano define onde serão aplicados os quase 14 mil milhões de euros da União Europeia para recuperar da crise provocada pela pandemia.

Neste momento, segue-se o período de decisão sobre o documento pela Comissão Europeia e pelo Conselho EcoFin. O Governo acredita que esta pode chegar ainda antes do final de junho, altura em que termina a Presidência Portuguesa da União Europeia. Ou seja, o primeiro passo oficial está dado, mas para que a bazuca europeia comece a funcionar falta ainda uma autorização que tem de ser aprovada pelos 27 estados da união europeia.

O primeiro-ministro diz que o plano vai exigir velocidade, rigor e será alvo de fiscalização apertada. Já Ursula von der Leyen aponta que "o plano português está estruturado em torno dos três pilares da resiliência, transformação verde e digital", as prioridades europeias deste mandato, incluindo "medidas na habitação social, eficiência energética nos edifícios e escolaridade digital".

Veja também: