Economia

António Costa admite injustiça fiscal nos escalões de IRS 

Primeiro-ministro quer desdobrar dois escalões de IRS.  

O primeiro-ministro admite desagravar o IRS em dois dos escalões.

"Estamos neste momento a fazer um trabalho muito sério para identificar a possibilidade de no próximo Orçamento do Estado para 2022 fazer aquilo que não conseguimos fazer este ano, que é mais um desdobramento de escalões."

Atualmente, existem sete escalões de IRS. António Costa quer desdobramentos nos escalões entre 10 e 20 mil euros e entre os 36 e 80 mil euros.

"No terceiro escalão, que cobre rendimentos entre os 10 mil e os 20 mil euros, temos uma enorme diferença. Depois, há o sexto escalão, entre os 36 mil euros e os 80 mil euros, onde há uma diferença gigantesca", aponta.

Em entrevista à TVI, o chefe de Governo fala em injustiça fiscal porque a diferença entre alguns escalões é grande. No entanto, defende que a carga fiscal em Portugal não é elevada face aos valores europeus.

As diferenças podem surgir já no próximo Orçamento do Estado.

Leia mais: