Economia

Ivo Rosa diz que suspeita sobre conta de Tchizé dos Santos mantém-se "muito ténue"

Ministério Público tinha pedido o congelamento da conta por suspeitas de branqueamento de capitais.

A empresária Tchizé dos Santos, filha do antigo Presidente de Angola, voltou a ter acesso a uma conta bancária que estava congelada em Portugal. O desbloqueio foi decidido pelo juiz Ivo Rosa devido ao limite dos prazos de investigação.

Em agosto do ano passado, o Ministério Público (MP) pediu a suspensão da conta por suspeita de branqueamento de capitais, depois de uma transferência bancária da Suíça para Portugal. Passaram 14 meses e os procuradores não pediram o congelamento ou a apreensão do dinheiro.

O MP quis manter o bloqueio da conta até dezembro, mas o juiz Ivo Rosa não concordou e mandou descongelar a conta. No despacho judicial considera que foi extinto o prazo para manter a medida e diz que se mantém “muito ténue o caráter suspeito quando à operação bancária”.

O juiz afirma ainda que “nenhuma investigação foi levada a cabo junto das autoridades de Angola ou junto da visada com vista a recolher elementos relativos à origem dos fundos movimentados da Suíça para Portugal”.

Ao que a SIC apurou, Tchizé dos Santos não foi constituída arguida no processo que, durante mais de um ano, levou ao congelamento da conta bancária.

► Veja mais:

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias