Economia

Afinal, a fatura de eletricidade vai ou não subir em agosto por causa do “travão ibérico”?

Afinal, a fatura de eletricidade vai ou não subir em agosto por causa do “travão ibérico”?

Saiba quem será mais afetado pela medida.

O regulador garante que vai estar atento à subida do preço da eletricidade, depois do presidente da Endesa ter antecipado um aumento de 40% já este mês. O Governo nega que o acordo ibérico sobre o gás faça subir a fatura da luz. Afinal, o que disse mesmo o presidente da Endesa e o que vai acontecer às faturas da eletricidade?

Loading...

O que disse o presidente da Endesa?

Em entrevista à Antena 1 e ao Negócios, Nuno Ribeiro da Silva disse que a fatura da luz vai ficar mais cara, mas não porque as elétricas subam os preços.

"Aparecerá nas faturas a dizer que o mecanismo coberto do diploma X de teto sobre os preços do gás, cabe-lhe a si, feliz ou infeliz contribuinte contribuir com X. Estamos a falar de qualquer coisa na ordem dos 40 ou mais por cento, relativamente àquilo que as pessoas pagavam"

Nuno Ribeiro da Silva diz que vão ser os consumidores a pagar os custos do chamado “travão ibérico”. Que travão é este? Um mecanismo criado para Portugal e Espanha que fixa um teto máximo aos preços do gás utilizados na produção de eletricidade.

O que disse o Governo sobre estas declarações?

O Governo considerou as declarações alarmistas e negou uma subida de 40% nas faturas da eletricidade por causa do mecanismo. O esclarecimento foi feito pelo secretário de Estado de Energia, João Galamba.

"Não é só alarmista, é falso. Queria deixar isso bem claro, é inteiramente falso. Não haverá nenhum aumento de 40% para as famílias portuguesas no mês de agosto".

Loading...

E o regulador: o que diz?

A ERSE, entidade reguladora, já veio esclarecer que este “travão ibérico” pode, de facto, ter impacto nos consumidores, mas será sobretudo nas empresas industriais com contratos indexados ao mercado diário.

Algumas já foram até chamadas a pagar essa compensação nos meses de junho e julho.

Situação que o secretário de Estado da Energia clarificou:

"Os únicos aumentos de eletricidade que podem acontecer no mês de agosto são de clientes que não têm contratos de longo prazo, fixos, que serão uma maioria no setor industrial. São estes que podem ter um aumento de preço face aos contratos anteriores, mas como beneficiam do mecanismo, o aumento é muito mais reduzido do que seria sem o mecanismo, ou seja, o mecanismo cumpre o objetivo para que foi feito".

Então e os consumidores domésticos?

No caso dos consumidores domésticos com taxa fixa, esta parcela nunca poderá cobrada. O regulador dos serviços enérgicos promete estar atento aos comercializadores e atuar em caso de cobrança abusiva.

A EDP já disse que não deverá mexer nos preços até ao final do ano, a não ser que ocorram situações excecionais. A Endesa garante o mesmo. Ainda esta segunda-feira, numa nota enviada às redações, garantiu que não vai mexer nos preços contratuais.

Últimas Notícias
Mais Vistos