Economia

Medidas de apoio às famílias não colocarão em causa metas do défice e dívida, garante Costa

Medidas de apoio às famílias não colocarão em causa metas do défice e dívida, garante Costa
ANTONIO PEDRO SANTOS

"Tomamos estas medidas com a certeza de que com aquilo que ganhamos hoje não vamos perder amanhã", afirmou.

O primeiro-ministro afirmou esta segunda-feira que as oito "medidas adicionais" de apoios sociais para fazer face à inflação, no valor de 2.400 milhões de euros, não colocarão em causa as metas do défice e dívida em 2022.

De acordo com o primeiro-ministro, as medidas agora anunciadas pelo Governo envolvem 2.400 milhões de euros e, no total, o plano do executivo para fazer face aos efeitos da inflação já atinge os quatro mil milhões de euros.

A seguir, António Costa salientou que o conjunto das medidas, apesar dos efeitos no aumento da despesa, mesmo assim não irá colocar em causa as metas macroeconómicas do executivo ao nível da dívida e do défice em 2022.

“Com o aumento das taxas de juro, estas medidas são tomadas no momento certo, com segurança. Tomamos estas medidas com a certeza de que com aquilo que ganhamos hoje não vamos perder amanhã”.

O primeiro-ministro anunciou esta segunda-feira o novo pacote de medidas. António Costa lembrou que “nenhuma medida mágica apaga o efeito” de uma guerra, mas garantiu que o Governo “está aqui uma vez mais para enfrentar um desafio excecional”.

As novas medidas de apoio que incluem um pagamento mensal às famílias, em outubro, a redução do IVA da eletricidade e ainda um aumento das pensões.

Últimas Notícias
Mais Vistos