Economia

Consumo interno aumenta e aguenta o crescimento do PIB português

Loading...

Mesmo com as exportações e o investimento a cair, o PIB cresceu face ao trimestre anterior e em relação ao período homólogo.

Apesar da inflação, o consumo privado das famílias aumentou entre julho e setembro deste ano. Esse aumento permitiu à economia portuguesa continuar a crescer no terceiro trimestre. A subida foi de 4,9%, face ao mesmo período do ano passado.

Os últimos meses vieram confirmar a tendência de subida a pique da inflação e o aumento das despesas, como a prestação da casa para quem tem crédito à habitação. Dificuldades que levam atualmente as famílias a consumir menos do que há um ano. Mas, em comparação com segundo trimestre de 2022, entre julho e setembro deste ano o consumo privado cresceu 1,1%. A procura interna sustentou o ligeiro crescimento da economia portuguesa, registado no terceiro trimestre.

Mesmo com as exportações e o investimento a cair, o PIB avançou 0,4% face ao trimestre anterior e 4,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Números que devem chegar para garantir que 2022 termina com a economia a crescer, mesmo num momento de contração e de incerteza a nível internacional.

Essa instabilidade parece ainda não afetar a taxa de desemprego que, em outubro, manteve-se nos 6,1%. Face a setembro há menos 2.000 desempregados. A população ativa também diminuiu e há ainda 285 mil pessoas que não são consideradas desempregadas, mas estão fora do mercado de trabalho ou trabalham apenas algumas horas por semana.

Últimas Notícias
Mais Vistos