À conquista de Marte

Lançamento da sonda "Hope" com destino a Marte novamente adiado devido ao mau tempo

Alexander McNabb

Nova data será anunciada em 24 horas.

Os Emirados Árabes Unidos anunciaram esta quarta-feira que o lançamento da sonda "Hope" com destino a Marte programado para quinta-feira a partir do centro espacial do Japão foi adiado novamente devido às más condições meteorológicas.

Inicialmente agendada para terça-feira, a descolagem da primeira missão espacial árabe a Marte tinha sido remarcada para quinta-feira devido às más condições atmosféricas.

"Após longas reuniões, a Agência Espacial dos Emirados Árabes Unidos e o Centro Espacial Mohamed ben Rached, anunciaram, após consultas com a Mitsubishi Heavy Industries, mais um atraso no lançamento da sonda" Hope ", informou hoje o governo dos Emirados Unidos na rede social Twitter.

O governo explicou que na origem do adiamento está o novo relatório que aponta para condições atmosféricas "instáveis".

"Uma nova data de lançamento em julho será anunciada em 24 horas", é referido na nota.

O programa dos Emirados Árabes Unidos é um dos três projetos em curso e que tem como objetivo o planeta Marte, tais como o Tianwen-1, da República Popular da China.

A sonda "Hope", em árabe "Al-Amal", deveria chegar a Marte em fevereiro de 2021, para assinalar os 50 anos da unificação dos emirados, uma federação de sete Estados.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros