À conquista de Marte

Nave da NASA que transporta robô para Marte entrou em modo de segurança

Quando uma nave entra em modo de segurança, todos os sistemas não essenciais desligam-se automaticamente para evitar danos no aparelho.

A nave que transporta o robô lançado esta quinta-feira para Marte entrou em modo de segurança, um estado em que todos os sistemas não essenciais de um aparelho desligam-se automaticamente, mas que pode indiciar algum problema.

Em comunicado, a agência espacial norte-americana NASA, responsável pela missão, refere que os dados recebidos durante a tarde de ontem indicam que a nave entrou em modo de segurança, atribuindo-o ao facto de que parte do aparelho estava um pouco mais fria do que o esperado quando se encontrava na sombra da Terra, da qual já saiu.

A NASA acrescenta que está a ser feita uma avaliação completa ao estado da nave e que está a trabalhar para que o aparelho regresse ao estado normal.

Quando uma nave entra em modo de segurança, todos os sistemas não essenciais, como instrumentos científicos, desligam-se automaticamente, para evitar danos no aparelho, até receber novas instruções do centro de controlo da missão.

O robô-cientista Perseverance

O robô-cientista Perseverance

NASA

No comunicado, a NASA sublinha que "um lançamento interplanetário é dinâmico", pelo que uma nave é programada para entrar em modo de segurança quando o seu computador de bordo regista condições que não estão de acordo com os parâmetros que foram pré-definidos.

A comunicação de dados entre o aparelho e a base de controlo também teve um atraso, só tendo sido possível obter dados mais detalhados da nave às 16:30 (hora em Lisboa), depois de um primeiro sinal emitido às 14:15.

Citado pela agência noticiosa AFP, o sudiretor da missão, Matt Wallace, desvalorizou o sucedido, considerando que tudo a que assistiu, até agora, lhe "parece correto".

A nave transporta o robô Perseverance (Perseverança), com o qual a NASA pretende recolher, pela primeira vez, amostras de rocha e solo de Marte e enviá-las para a Terra, mais tarde, em 2031, e procurar sinais (bioquímicos) de vida microbiana passada no planeta.

Se a viagem até Marte for bem-sucedida, o veículo robótico deverá chegar a solo marciano em 18 de fevereiro de 2021, mais concretamente à cratera Jezero, onde terá existido um lago há 3,5 mil milhões de anos.

O aparelho que transporta o robô foi lançado na quinta-feira às 12:50 (hora em Lisboa) da base espacial norte-americana de Cabo Canaveral, na Florida.

  • O cartão amarelo que não se percebe 

    Opinião

    Despir a camisola aquando da celebração de um golo é proibido pelas leis de jogo. Penso que toda a gente sabe disso. Aliás, basta apenas que um qualquer jogador cubra a cabeça usando essa peça de equipamento para ser sancionado.

    Duarte Gomes