À conquista de Marte

NASA adia primeiro voo em Marte do mini-helicóptero Ingenuity

O pequeno helicóptero da NASA em Marte, Ingenuity, deveria fazer história este domingo: o primeiro voo de um engenho motorizado noutro planeta. Mas a NASA considerou que ainda não estava em condições e adiou o teste.

NASA/JPL-Caltech/ASU

Aparelho continua a enviar informações para a Terra.

O pequeno helicóptero da NASA em Marte, Ingenuity, deveria ter feito história este domingo: o primeiro voo de um engenho motorizado noutro planeta. Mas a NASA considerou que ainda não estava em condições e adiou o teste.

Um teste de alta velocidade dos rotores do helicóptero terminou mais cedo do que o esperado devido a um alerta de um potencial problema. O voo teve por isso de ser adiado por alguns dias, na melhor das hipóteses para 14 de abril, anunciou a NASA.

"A equipa do helicóptero está a analisar a telemetria para diagnosticar e entender o problema. Depois disso, será reprogramado o teste a toda velocidade"

A NASA esclareceu que o helicóptero está "são e salvo" e que enviou informações para a Terra.

O Ingenuity chegou a 18 de fevereiro a Marte acoplado ao robô Perseverance. Separou-se a 4 de abril do Perseverance que lhe fornecia energia. Desde então está dependente dos seus próprios painéis solares para sobreviver às geladas noites marcianas, com temperaturas que chegam aos -90ºC.

Constituído por quatro apoios, um corpo e duas hélices sobrepostas, o Ingenuity pesa 1,8 kg e mede 1,2 metros de uma ponta à outra das pás.

Caso a experiência seja bem sucedida, será uma verdadeira proeza, porque o ar marciano tem uma densidade equivalente a apenas 1% da atmosfera da Terra. E é empurrando o ar enquanto giram que as hélices conseguem levantar o peso.

O Perseverance tem como missão vasculhar a superfície de Marte à procura de vestígios de vida e de recolher amostras do solo e das rochas. As amostras serão posteriormente enviadas para análise na Terra através de uma outra missão robótica, com lançamento previsto para 2022, da responsabilidade da Agência Espacial Europeia (ESA) - a ExoMars.

Nesta primeira missão dedicada à astrobiologia, a NASA vai procurar sinais (químicos) de vida microbiana passada em Marte, caracterizar o clima e a geologia do planeta e, assim, abrir caminho para o envio de astronautas.