Abusos na Igreja Católica

Partidos dizem que Marcelo Rebelo de Sousa "deve pedir desculpa" às vítimas

Loading...

Em Belém, quase todos os líderes partidários abordaram as declarações do Presidente da República acerca dos abusos sexuais.

No final do encontro com o Presidente da República por causa do Orçamento do Estado, quase todos os partidos falaram sobre as declarações de Marcelo Rebelo de Sousa acerca dos abusos sexuais. Alguns consideram que o presidente deve um pedido de desculpa e justificar-se ao país.

Os partidos estiverem em Belém e não pouparam nas críticas a Marcelo Rebelo de Sousa, depois do chefe de Estado ter dito ontem, em resposta ao recentes dados divulgados que dão conta de mais de 400 novas denúncias de abusos sexuais na igreja, que este número não é "um número tão elevado" assim.

Tais palavras geraram uma onda de indignação e fizeram com que o Presidente da República se justificasse várias vezes, contudo, nunca pedindo desculpa pelo que disse, em nenhuma das ocasiões.

As declarações dos vários partidos

Luís Montenegro começou por dizer que o Presidente “anuncia as suas posições” e não dá explicações aos partidos. O líder dos sociais democratas não se quis alongar em relação ao tema, uma vez que já se pronunciou anteriormente, clarificou.

Já André Ventura explicou que “o Chega não se revê, de todo", com as declarações de Marcelo Rebelo de Sousa que, segundo o líder do partido, foram “desajustadas, graves e despropositadas”. Acrescentou ainda que, se o próprio fosse Presidente da República, apresentar-se-ia à comunicação social e responderia ao que lhe fosse requisitado.

Marcelo Rebelo de Sousa “deve pedir desculpa às vítimas”

João Cotrim de Figueiredo reforçou a posição oficial do Iniciativa Liberal que considera lamentáveis as posições de Marcelo Rebelo de Sousa. Reiterou também que o chefe de Estado “devia ter pedido desculpa às vítimas”.

Catarina Martins disse que as vítimas “merecem justiça e que não devem ser desvalorizadas”. Refere que o Presidente da República “deve fazer o que entender”, mas acrescenta que o Bloco de Esquerda "não pode deixar de agradecer às vítimas por terem coragem de denunciar os crimes".

Jerónimo de Sousa lembrou que não é usual o Partido Comunista "dar orientações" ao chefe de Estado mas declarou, em concordância com os restante líderes partidários, que “mais do que um pedido de desculpas, existe um problema, existe uma matéria. Há que fazer o apuramento e, naturalmente, tirar as consequências”

Inês Sousa Real deixou claro que o PAN "lamenta profundamente" as declarações de Marcelo Rebelo de Sousa e atirou que as vítimas necessitam de "outro tipo de compromisso" por parte de todas as instituições do Estado e que estas reconheçam a verdadeiras "dimensão destes crimes".

A porta-voz do PAN assume que o crime de abuso sexual de menores é um crime “de uma natureza extremamente grave” e atira que "em política" qualquer pessoa está sujeita a proferir palavras "menos felizes", contudo, quando assim é, deve ser reconhecido e, é imperativo que seja feito um pedido de desculpas.

Últimas Notícias