Afeganistão

As leis medievais dos talibã: amputações, execuções e apedrejamentos estão de volta ao Afeganistão

O regresso dos talibã ao poder trouxe de novo a sharia, a interpretação mais severa da lei islâmica.

O regresso dos talibã ao poder no Afeganistão resgatou a lei da sharia, uma interpretação severa da lei islâmica. Amputações de mãos para ladrões, execuções públicas e apedrejamentos por infidelidade estão de volta ao país.

As esquadras de polícia e as prisões estão cheias de afegãos sem direitos. A justiça depende agora do humor e da vontade de cada talibã.

A corrupção era um mal crónico durante a governação de Ashraf Ghani, com assaltos e sequestros diários, mas os métodos medievais do novo regime para erradicar o crime da sociedade afegã não convencem.

Apesar de prometerem trazerem de volta a segurança ao país, são já vários os episódios de violência desde que tomaram o poder.

Este domingo mais uma bomba explodiu junto à mesquita Eid Gah, em Cabul, provocando a morte de dois civis. O atentado ocorreu durante uma cerimónia religiosa em memória da mãe do porta-voz dos extremistas e foi reivindicado pela fação afegã do Daesh, arqui-inimigos dos talibã.

Veja também: