Assalto em Tancos

Libertado o alegado mentor do assalto a Tancos

João Paulino estava detido há um ano e quatro meses.

João Paulino, o alegado mentor do assalto a Tancos, foi libertado esta segunda-feira, por volta das 18h30. A SIC sabe que João Paulino saiu do estabelecimento prisional anexo à PJ acompanhado pelos advogados.

A libertação acontece por ter sido atingido o prazo máximo de prisão preventiva, ficando João Paulino com a medida de coação de apresentações periódicas às autoridades.

O arguido estava detido há um ano e quatro meses.

AS 100 PERGUNTAS DO JUIZ CARLOS ALEXANDRE A ANTÓNIO COSTA SOBRE TANCOS

O primeiro-ministro, António Costa, vai responder por escrito na qualidade de testemunha do ex-ministro da Defesa e arguido do caso de Tancos Azeredo Lopes, por decisão do juiz Carlos Alexandre, que lhe formulou 100 perguntas.

António Costa tem agora um prazo de 15 dias para responder às 100 questões, as quais poderão, posteriormente, suscitar pedidos de esclarecimento dos advogados e do Ministério Público.

O processo de Tancos tem 23 acusados, incluindo o ex-diretor nacional da Polícia Judiciária Militar (PJM) Luís Vieira, o ex-porta-voz da PJM Vasco Brazão e o ex-fuzileiro João Paulino, apontado como cabecilha do furto das armas, que respondem por um conjunto de crimes que incluem terrorismo, associação criminosa, denegação de justiça e prevaricação, falsificação de documentos, tráfico de influência, abuso de poder, recetação e detenção de arma proibida.