Eleições Autárquicas

Rui Rio não compreende recusa do Governo em adiar autárquicas

Eleições marcadas para 26 de setembro. 

O Conselho de Ministros marcou esta quinta-feira as eleições autárquicas para 26 de setembro.

Rui Rio não compreende que o Governo tenha escolhido o dia 26 de setembro, exatamente no mesmo Conselho de Ministros onde assumiu um agravamento da pandemia de covid-19 no país.

O presidente do PSD afirma que nesta realidade só havia um caminho a adotar: a proposta inicial do partido de adiamento das eleições para dezembro.

"O que não posso admitir é a razão pela qual o Governo e o PS, em particular, não aceita adiar as eleições autárquicas por um mês, um mês e meio, dois meses no máximo, justamente na altura em que a pandemia se está a agravar", completou Rio.

O social-democrata disse que é impossível "garantir umas eleições democráticas, com todos os candidatos a poderem fazer, com o mínimo de liberdade, a sua campanha" com o enquadramento definido pelo Governo, acrescentando que esta decisão "poderá interessar ao PS", já que que elegeu o maior número de autarcas nas eleições de 2017.

"Um presidente de câmara, por natureza e no exercício das suas funções, tem a campanha mais ou menos feita. Agora a oposição precisa de espaço para isso", sustentou Rio, que foi presidente da Câmara Municipal do Porto entre 2002 e 2013.

  • Merkel: mãe e verbo da Alemanha moderna

    Angela Merkel

    Carinhosamente chamada pelos alemães de "Mutti" (mãe), protagonizou um estilo único de fazer política na Alemanha. Não era uma grande oradora, nem fazia discursos inspiradores, mas a postura pragmática valeu-lhe respeito e admiração. "Merkeln" passou a ser verbo na Alemanha, em alusão à forma como a chanceler toma decisões.

    Ana Luísa Monteiro