Brexit

Passaporte biométrico passa a ser obrigatório para viajar para o Reino Unido

Situação surge no seguimento do processo do Brexit.

Dez meses depois do final do período de transição, surge uma das mais visíveis consequências do Brexit. A partir desta sexta-feira, 1 de outubro, para visitar o Reino Unido, é preciso passaporte.

Os cartões do cidadão portugueses e de outros países da UE deixam de ser aceites, uma medida que ameaça afetar a indústria turística britânica.

"Quando se começa a adotar medidas como esta, que mudam a forma como as pessoas viajam, porque têm de ir tirar o passaporte, isso afasta algumas pessoas. Há duzentos milhões de pessoas afetadas por esta mudança na União Europeia. Mesmo que apenas 1% fique desmotivado, não deixa de ter um grande impacto no setor aéreo", diz o consultor de viagens da PCA Agency, Paul Charles.

Ainda assim, até 31 de dezembro de 2025, os cidadãos comunitários residentes e candidatos ao estatuto de residente podem continuar a usar o cartão do cidadão, algo que poderá ser difícil de controlar.

"Os cidadãos da União Europeia não têm provas físicas do seu estado, as companhia aéreas não têm acesso às bases de dados dos Governos, e, ainda assim, as pessoas terão de provar, quando quiserem ir de avião para o estrangeiro, que têm este estatuto e podem viajar com o cartão de cidadão. Não acreditamos que tenha sido analisado cuidadosamente. Não parece ter sido planeado. Penso que será o caos.

O governo britânico diz que os cartões de identidade europeus são inconsistentes e não oferecem suficientes garantias de segurança.

Veja também: