Coronavírus

Coronavírus obriga à mudança do local de qualificação do futebol feminino nos Jogos Olímpicos

China Daily CDIC

Os encontros estavam agendados para a cidade de Wuhan, local onde teve origem o vírus.

Os jogos de qualificação da zona asiática para o torneio feminino de futebol dos Jogos Olímpicos de 2020, previstos para fevereiro em Wuhan, onde teve origem o coronavírus, novo vírus detetado na China, vão mudar de local.

De acordo com a Confederação Asiática de futebol (AFC), os jogos da terceira fase de qualificação, entre 3 e 9 de fevereiro, vão ser transferidos para Nanjing, na zona oriental e capital da província de Jiangsu.

Os jogos do grupo B de qualificação, agendados para a China, incluem a Austrália, China, Tailândia e Taiwan, enquanto que o grupo A, que decorre na Coreia do Sul, conta com os sul-coreanos, Vietname e Myanmar.

Antes desta decisão, a Federação de futebol de Taiwan chegou a ameaçar retirar-se da qualificação, caso os jogos se mantivessem em Wuhan, afirmado que a prioridade era a segurança das suas jogadoras.

Entretanto, um torneio de boxe, igualmente de qualificação para os Jogos de Tóquio2020 e também agendado para fevereiro em Wuhan, deverá mudar de local, segundo indicou a agência japonesa Kyodo.

A agência cita os organizadores, mas o novo local ainda não foi confirmado, com a Federação japonesa de boxe a aguardar por novas diretrizes do Comité Olímpico Internacional (COI).

Hoje, as autoridades chinesas apelaram à população para evitar multidões e encontros em espaços públicos, alertando que a nova doença, que se transmite pelas vias respiratórias e que infetou centenas e matou nove pessoas, se pode alastrar ainda mais.

O número de casos aumentou rapidamente desde que a nova pneumonia foi detetada no mês passado em Wuhan, no centro da China.

No total, há 440 casos confirmados, em 13 jurisdições do país, anunciou o vice-diretor da Comissão Nacional de Saúde, Li Bin.

Nove pessoas morreram, todas na província de Hubei, cuja capital é Wuhan.

OMS reúne hoje para avaliar se o surto constitui emergência para a saúde pública internacional